Posts tagged ‘Amamentação’

Complicações mais comuns durante a amamentação:

© Copyright 2010 CorbisCorporationEssas complicações não impedem a amamentação, procure ajuda em um banco de leite, posto de saúde, com seu médico ou nutricionista. Os profissionais da saúde irão lhe orientar no tratamento. Mas lembre-se, a prevenção é o melhor tratamento.

Ingurgitamento mamário:

O que é? É o acúmulo de leite nas mamas. Elas ficam doloridas, quentes, inchadas e rígidas.

Causa: Pode ocorrer por aumento na produção de leite ou por dificuldade no esvaziamento.

Prevenção:

  • Amamentar logo após o parto;
  • Fazer massagens circulares nas mamas, massageando principalmente os “nódulos” encontrados;
  • Deixar o bebê mamar sob livre demanda, sempre que ele quiser;
  • Se as mamas estiverem muito cheias, retirar o excesso e oferecer o peito com maior frequência.

Tratamento: Antes de o bebê sugar a mãe deve fazer massagem nas mamas, deixando escorrer um pouco do leite (para área ficar mais amolecida). O melhor tratamento é a ordenha do peito (não deixar o peito muito cheio de leite).

Observações:

  • Não se deve usar bomba elétrica ou manual;
  • Compressas quentes e frias devem ser feitas somente com acompanhamento de um profissional da área da saúde;
  • O ingurgitamento geralmente ocorre nos dois peitos e nas duas primeiras semanas após o parto;
  • Se não melhorar em 24 horas, a mama ficar avermelhada e a mãe tiver febre, deve-se procurar o médico para evitar complicações como mastite ou abscessos.


Fissuras e rachaduras:

Causas: Pega errada e preparo inadequado dos mamilos no período pré-natal.

Prevenção: 

  • Expor a área dos mamilos e aréola ao sol (antes das 10h da manhã ou após 16h) para fortalecer a pele; 
  • Não passar óleos, nem cremes que retirem a proteção natural da região;
    Amamentar sob livre demanda;
  • Ordenhar o leite antes de a criança mamar (quando a mama estiver muito cheia) para facilitar a extração;
  • Evitar uso de intermediários de mamilo.

Tratamento:

  • Itens acima;
  • Mudar a posição da mamada utilizando a posição invertida (ver figura no final do texto);
  • Analgésicos oral, com orientação médica;
  • Deixar o leite materno atuando no local das fissuras;
  • Manter as mamas mais livres para que o local fique seco por mais tempo e não haja atrito do sutiã ou das roupas.

Observações: Fissuras e rachaduras são comuns no primeiro mês após o parto. Se a mãe tiver febre alta ou muita dor, consultar o médico.


Mastite:

O que é? Processo inflamatório que pode ou não evoluir para infecção bacteriana. A parte da mama atingida fica dolorosa, edemaciada e com aumento da temperatura.

Causa: Evolução de ingurgitamento, fissuras e rachaduras.

Tratamento: Com apoio médico.

Observação: A mastite geralmente acomete só uma mama e após duas semanas do parto. Quando não tratada adequadamente pode evoluir para um abscesso (acúmulo de pus). A mastite não contraindica a amamentação.

posição invertida

Fonte de apoio para o texto:
a) Álbum seriado. Promovendo o Aleitamento Materno 2ª edição, revisada. Brasília: 2007.
b) Livro Nutrição: da gestação ao envelhecimento – Marcia R. Vitolo (ed.) – Rio de janeiro, 2008.

Anúncios

3 de agosto de 2014 at 13:00 Deixe um comentário

Forma correta de amamentar:

Sabe-se que se as técnicas de amamentação estiverem corretas diminui-se muito o risco de desmame precoce. Mas que forma correta é essa?

O texto de hoje vai ensinar as mães como amamentar seu bebê de forma correta e com isso evitar algumas complicações como ingurgitamento (acumulo de leite nas mamas), fissuras e rachaduras, mastite e até o desmame.

Posição do bebê (Figura 1):

  • O corpo do bebê deve estar inteiramente de frente para a mãe e bem próximo (barriga do bebê voltada para o corpo da mãe). A mãe deve apoiar com o braço e mão o corpo e o “bumbum” do bebê;
  • O bebê deve estar alinhado, a cabeça e a coluna em linha reta, no mesmo eixo;
  • A boca do bebê deve estar bem de frente para o bico do peito, para que ele possa abocanhar, ou seja, colocar a maior parte da aréola (área mais escura e arredondada do peito) dentro da boca. Queixo do bebê deve tocar o peito da mãe.

A mãe pode apoiar um travesseiro no colo para que seus braços não fiquem suspensos no ar segurando o bebê e ainda usar um apoio embaixo dos pés para facilitar a posição, permitindo assim, que a boca da criança fique no mesmo plano da aréola.

Dicas para a hora da amamentação:

  • Se o peito estiver muito cheio, antes de amamentar, a mãe deve fazer uma ordenha manual para amaciar a aréola. Com os dedos indicador e polegar, ela deve espremer as regiões acima e abaixo do limite da aréola para retirar algumas gotas de leite e amaciar o bico (figura 2);
  • A mãe deve segurar a mama com a mão em “concha” e não simulando uma “tesoura” (figura 3);
  • Uma prática que ajuda na pega é com o dedo indicador puxar levemente o queixo do bebê para baixo, com isso ele abri mais a boca e pega bem a aréola;
  • A mãe deve ouvir o ritmo cadenciado de sucção, deglutição e pausa;
  • Oferecer um peito até o bebê soltar e depois oferecer o outro. Não interromper a mamada, porque é importante dar de mamar até o bebê soltar, para receber o leite do final da mamada, que é mais rico em gorduras. O leite do início “mata” a sede e protege o bebê, o do final alimenta;
  • Quando a criança tiver mamado todo o leite, orienta-se que a mãe não a puxe, e sim coloque o dedo mindinho no canto da boca da criança para facilitar a retirada sem causar atrito (figura 4);
  • Na próxima mamada, começar com o peito que o bebê sugou por último na mamada anterior, ou no que não mamou, pois é importante retirar a maior quantidade possível de leite para estimular sua produção.

A “pega” está adequada quando:

  • Boca bem aberta;
  • Lábios virados para fora;
  • Queixo tocando o peito da mãe;
  • Aréola mais visível na parte superior que na inferior;
  • Bochecha redonda (“cheia”);
  • A língua do bebê deve envolver o bico do peito.

Mãe e bebê devem estar confortáveis. Se o bebê mamar corretamente, não vai machucar o seio da mãe e vai retirar melhor o leite, matando a sua fome mais rapidamente e vai fazer intervalos maiores entre as mamadas.

Lembrete: O aleitamento materno exclusivo é preconizado até o 6º mês de vida do bebê.

Sem título

 

Fonte de apoio para o texto: Álbum seriado. Promovendo o Aleitamento Materno 2ª edição, revisada. Brasília: 2007.

2 de agosto de 2014 at 10:00 Deixe um comentário

01 a 07 de agosto de 2014 – Semana Mundial do Aleitamento Materno

amamentaçãoDê somente leite materno ao seu bebê até o 6º mês de vida, sem oferecer água, chás ou quaisquer outros alimentos;

O leite materno contém tudo o que seu filho necessita até o 6º mês de idade, inclusive água, e ainda protege contra infecções e outras doenças;

A criança que recebe outros alimentos além do leite materno antes dos seis meses, principalmente através de mamadeira, incluindo água e chás, adoece mais facilmente e pode ficar desnutrida.

Lembre-se: o seu leite é o melhor alimento!

1 de agosto de 2014 at 17:33 Deixe um comentário

Aleitamento Materno:

amamentacao_01O leite materno é fundamental para a saúde das crianças por ser um alimento completo, com fatores de proteção contra infecções comuns da infância, isento de contaminação e perfeitamente adaptado ao metabolismo da criança.

O aleitamento materno exclusivo, isto é, quando a criança recebe somente leite materno, diretamente da mama ou extraído, e nenhum outro líquido ou sólido, é recomendado pelo Ministério da saúde (MS) durante os primeiros 6 MESES de vida do bebê.

Já foi demonstrado que a complementação do leite materno com água ou chás nos primeiros seis meses de vida é desnecessária, inclusive em dias secos e quentes, pois os recém-nascidos normais nascem suficientemente hidratados para não necessitar de nenhum líquido, somente do leite materno.

A partir dos 6 meses deve-se introduzir os alimentos complementares, isto é, quaisquer alimentos que não o leite humano, como frutas, vegetais, cereais, carnes.

O leite materno, mesmo após os 6 meses, continua sendo uma importante fonte de nutrientes para as crianças. Portanto, a Organização Mundial da Saúde recomenda que as crianças sejam amamentadas por 2 anos ou mais.

Alguns benefícios do aleitamento materno para as mães e para os bebês:

• A amamentação promove a relação entre mãe e filho;

• A amamentação satisfaz as necessidades emocionais do bebê: Todo o bebê precisa ser colocado no colo;

• O leite materno fornece a alimentação perfeita ao bebê: O leite humano é inigualavelmente superior como alimento infantil;

• Não amamentar aumenta o risco de câncer de mama na mãe;

• A alimentação com leite em pó está associada a um Q.I. mais baixo: Crianças e adolescentes que foram amamentados têm inteligência mais elevada e melhor rendimento acadêmico do que aquelas alimentadas com leite em pó;

• O leite materno está sempre pronto;

• O leite materno contém elementos para a imunidade contra doenças e ajuda no desenvolvimento do sistema imunológico das crianças: O leite em pó não oferece nenhum destes benefícios;

• O leite materno é mais digerível do que o leite em pó;

• A amamentação ajuda a contração do útero da mãe após o parto: Pois, a lactação faz com que o útero se contraia, voltando mais rapidamente ao seu tamanho pré-gestacional;

• Amamentação ajuda a prevenir hemorragia pós-parto;

• Amamentar ajuda a mãe a perder peso;

• A amamentação protege o bebê contra doenças intestinais, infecções diarréicas, meningite bacteriana, infecções respiratórias;

• A alimentação com leite em pó aumenta o risco do bebê desenvolver diabete tipo I e infecções de ouvido;

• Não amamentar aumenta o risco da mãe desenvolver câncer de ovário e de endométrio;

• A alimentação com leite em pó aumenta as chances do bebê desenvolver alergias;

• O leite materno diminui o risco do bebê desenvolver asma;

• A amamentação diminui as chances de osteoporose materna na vida futura;

• Os bebês alimentados com leite em pó correm maior risco de serem obesos na vida futura;

• A amamentação é um anticoncepcional natural: Isto só é verdadeiro se você estiver exclusivamente amamentando e ainda não tiver menstruado outra vez após o parto;

• O leite materno é grátis e está sempre na temperatura certa;

• O leite materno tem a proporção correta de gorduras, carboidratos e proteínas;

• A amamentação funciona como um calmante natural para a mãe e para o bebê;

• Bebês amamentados precisam ir menos ao médico;

• O leite materno fresco nunca está contaminado por bactérias, além disso, tem propriedades antibacterianas;

• A amamentação favorece o bom desenvolvimento dos dentes e maxilares, além disso, bebês amamentados têm menos cáries;

• Bebês amamentados têm menos refluxo gastrointestinal (regurgitação);

• Protege a mãe contra anemia (deficiência de ferro): Como muitas mães que amamentam seu filho exclusivamente não menstruam até um ano ou mais após o parto, suas reservas de ferro não são consumidas pelo sangramento mensal;

• Trocas de fralda mais agradáveis: A evacuação de bebês amamentados tem um cheiro suave e inofensivo.

Mães, AMAMENTEM!
“A amamentação é um gesto de carinho e de preocupação com você e com seu bebê”.

Vídeo: Campanha Nacional do Aleitamento Materno 2009.

Caso tenha alguma dúvida ou dificuldade com a amamentação, procure um Nutricionista, pois esse é o profissional mais habilitado para ajudar nessa fase da lactação.

2 de novembro de 2009 at 14:39 2 comentários


Páginas

novembro 2017
D S T Q Q S S
« set    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930