10 passos para o aleitamento materno bem-sucedido:

  1. Mother breastfeeding her newborn baby at homeSe informar sobre as vantagens do aleitamento materno, através de livros, sites confiáveis, profissionais da área da saúde;
  2. Iniciar o aleitamento o mais cedo possível, de preferência na sala de parto;
  3. Buscar orientações de como amamentar (posições da mãe, posição do bebê, “pega” correta) antes de sair do hospital;
  4. Caso aconteçam complicações com as mamas (ingurgitamento, fissuras, rachaduras), buscar imediatamente ajuda em hospital, banco de leite ou com profissional da área da saúde capacitado (médico, enfermeiro, nutricionista);
  5. Manter a lactação mesmo se tiver que voltar a trabalhar, através da ordenha;
  6. Não dar nenhum tipo de alimento ou bebida (água, chá, suco) além do leite materno até o 6º mês de vida do bebê (salvo exceções orientadas pelo médico – doenças);
  7. Praticar o aleitamento materno sob livre demanda, ou seja, sem horários fixos ou determinados, sempre que o bebê quiser;
  8. Não dar bico artificial ou chupeta a crianças amamentadas ao seio. As formas de sugar o peito e o bico/chupetas são diferentes, o bebê pode confundir e passar a mamar errado, sem tirar do peito a quantidade de leite que necessita;
  9. Amamentar em locais tranquilos e em posições confortáveis, onde mãe e bebê possam aproveitar esse momento de carinho sem preocupações e distrações;
  10. Receber apoio e incentivo dos familiares e da comunidade.

4 de agosto de 2014 at 14:03 Deixe um comentário

Complicações mais comuns durante a amamentação:

© Copyright 2010 CorbisCorporationEssas complicações não impedem a amamentação, procure ajuda em um banco de leite, posto de saúde, com seu médico ou nutricionista. Os profissionais da saúde irão lhe orientar no tratamento. Mas lembre-se, a prevenção é o melhor tratamento.

Ingurgitamento mamário:

O que é? É o acúmulo de leite nas mamas. Elas ficam doloridas, quentes, inchadas e rígidas.

Causa: Pode ocorrer por aumento na produção de leite ou por dificuldade no esvaziamento.

Prevenção:

  • Amamentar logo após o parto;
  • Fazer massagens circulares nas mamas, massageando principalmente os “nódulos” encontrados;
  • Deixar o bebê mamar sob livre demanda, sempre que ele quiser;
  • Se as mamas estiverem muito cheias, retirar o excesso e oferecer o peito com maior frequência.

Tratamento: Antes de o bebê sugar a mãe deve fazer massagem nas mamas, deixando escorrer um pouco do leite (para área ficar mais amolecida). O melhor tratamento é a ordenha do peito (não deixar o peito muito cheio de leite).

Observações:

  • Não se deve usar bomba elétrica ou manual;
  • Compressas quentes e frias devem ser feitas somente com acompanhamento de um profissional da área da saúde;
  • O ingurgitamento geralmente ocorre nos dois peitos e nas duas primeiras semanas após o parto;
  • Se não melhorar em 24 horas, a mama ficar avermelhada e a mãe tiver febre, deve-se procurar o médico para evitar complicações como mastite ou abscessos.


Fissuras e rachaduras:

Causas: Pega errada e preparo inadequado dos mamilos no período pré-natal.

Prevenção: 

  • Expor a área dos mamilos e aréola ao sol (antes das 10h da manhã ou após 16h) para fortalecer a pele; 
  • Não passar óleos, nem cremes que retirem a proteção natural da região;
    Amamentar sob livre demanda;
  • Ordenhar o leite antes de a criança mamar (quando a mama estiver muito cheia) para facilitar a extração;
  • Evitar uso de intermediários de mamilo.

Tratamento:

  • Itens acima;
  • Mudar a posição da mamada utilizando a posição invertida (ver figura no final do texto);
  • Analgésicos oral, com orientação médica;
  • Deixar o leite materno atuando no local das fissuras;
  • Manter as mamas mais livres para que o local fique seco por mais tempo e não haja atrito do sutiã ou das roupas.

Observações: Fissuras e rachaduras são comuns no primeiro mês após o parto. Se a mãe tiver febre alta ou muita dor, consultar o médico.


Mastite:

O que é? Processo inflamatório que pode ou não evoluir para infecção bacteriana. A parte da mama atingida fica dolorosa, edemaciada e com aumento da temperatura.

Causa: Evolução de ingurgitamento, fissuras e rachaduras.

Tratamento: Com apoio médico.

Observação: A mastite geralmente acomete só uma mama e após duas semanas do parto. Quando não tratada adequadamente pode evoluir para um abscesso (acúmulo de pus). A mastite não contraindica a amamentação.

posição invertida

Fonte de apoio para o texto:
a) Álbum seriado. Promovendo o Aleitamento Materno 2ª edição, revisada. Brasília: 2007.
b) Livro Nutrição: da gestação ao envelhecimento – Marcia R. Vitolo (ed.) – Rio de janeiro, 2008.

3 de agosto de 2014 at 13:00 Deixe um comentário

Forma correta de amamentar:

Sabe-se que se as técnicas de amamentação estiverem corretas diminui-se muito o risco de desmame precoce. Mas que forma correta é essa?

O texto de hoje vai ensinar as mães como amamentar seu bebê de forma correta e com isso evitar algumas complicações como ingurgitamento (acumulo de leite nas mamas), fissuras e rachaduras, mastite e até o desmame.

Posição do bebê (Figura 1):

  • O corpo do bebê deve estar inteiramente de frente para a mãe e bem próximo (barriga do bebê voltada para o corpo da mãe). A mãe deve apoiar com o braço e mão o corpo e o “bumbum” do bebê;
  • O bebê deve estar alinhado, a cabeça e a coluna em linha reta, no mesmo eixo;
  • A boca do bebê deve estar bem de frente para o bico do peito, para que ele possa abocanhar, ou seja, colocar a maior parte da aréola (área mais escura e arredondada do peito) dentro da boca. Queixo do bebê deve tocar o peito da mãe.

A mãe pode apoiar um travesseiro no colo para que seus braços não fiquem suspensos no ar segurando o bebê e ainda usar um apoio embaixo dos pés para facilitar a posição, permitindo assim, que a boca da criança fique no mesmo plano da aréola.

Dicas para a hora da amamentação:

  • Se o peito estiver muito cheio, antes de amamentar, a mãe deve fazer uma ordenha manual para amaciar a aréola. Com os dedos indicador e polegar, ela deve espremer as regiões acima e abaixo do limite da aréola para retirar algumas gotas de leite e amaciar o bico (figura 2);
  • A mãe deve segurar a mama com a mão em “concha” e não simulando uma “tesoura” (figura 3);
  • Uma prática que ajuda na pega é com o dedo indicador puxar levemente o queixo do bebê para baixo, com isso ele abri mais a boca e pega bem a aréola;
  • A mãe deve ouvir o ritmo cadenciado de sucção, deglutição e pausa;
  • Oferecer um peito até o bebê soltar e depois oferecer o outro. Não interromper a mamada, porque é importante dar de mamar até o bebê soltar, para receber o leite do final da mamada, que é mais rico em gorduras. O leite do início “mata” a sede e protege o bebê, o do final alimenta;
  • Quando a criança tiver mamado todo o leite, orienta-se que a mãe não a puxe, e sim coloque o dedo mindinho no canto da boca da criança para facilitar a retirada sem causar atrito (figura 4);
  • Na próxima mamada, começar com o peito que o bebê sugou por último na mamada anterior, ou no que não mamou, pois é importante retirar a maior quantidade possível de leite para estimular sua produção.

A “pega” está adequada quando:

  • Boca bem aberta;
  • Lábios virados para fora;
  • Queixo tocando o peito da mãe;
  • Aréola mais visível na parte superior que na inferior;
  • Bochecha redonda (“cheia”);
  • A língua do bebê deve envolver o bico do peito.

Mãe e bebê devem estar confortáveis. Se o bebê mamar corretamente, não vai machucar o seio da mãe e vai retirar melhor o leite, matando a sua fome mais rapidamente e vai fazer intervalos maiores entre as mamadas.

Lembrete: O aleitamento materno exclusivo é preconizado até o 6º mês de vida do bebê.

Sem título

 

Fonte de apoio para o texto: Álbum seriado. Promovendo o Aleitamento Materno 2ª edição, revisada. Brasília: 2007.

2 de agosto de 2014 at 10:00 Deixe um comentário

01 a 07 de agosto de 2014 – Semana Mundial do Aleitamento Materno

amamentaçãoDê somente leite materno ao seu bebê até o 6º mês de vida, sem oferecer água, chás ou quaisquer outros alimentos;

O leite materno contém tudo o que seu filho necessita até o 6º mês de idade, inclusive água, e ainda protege contra infecções e outras doenças;

A criança que recebe outros alimentos além do leite materno antes dos seis meses, principalmente através de mamadeira, incluindo água e chás, adoece mais facilmente e pode ficar desnutrida.

Lembre-se: o seu leite é o melhor alimento!

1 de agosto de 2014 at 17:33 Deixe um comentário

Dicas de Alimentação na Páscoa

A Páscoa, para muitos, é sinônimo de refeições fartas e chocolates durante todo o feriado. No entanto, com algumas cenouradicas e cuidados podemos manter a alimentação saudável durante essa data comemorativa.

Nesse período temos o hábito de consumir frutos do mar e esse pode ser o início do consumo regular desse tipo de alimento saudável.

Os peixes e os subprodutos marinhos estão entre os principais alimentos funcionais, especialmente por serem fontes de ômega-3. Os ácidos graxos ômega-3 são encontrados respectivamente nos vegetais (soja, canola e linhaça) e em peixes de águas frias e profundas (cavala, sardinha, atum, salmão, truta, cascudo, arenque).

Estudos sugerem que a ingestão regular de ômega-3 na dieta promove redução dos triglicérides, podendo ainda exercer outros efeitos cardiovasculares (redução da viscosidade do sangue, maior relaxamento do músculo cardíaco e também efeitos anti-arrítmicos). A Associação Dietética Americana (ADA) recomenda a ingestão de 180 g ou mais de peixes ricos em ômega-3 por semana e a Sociedade Brasileira de Cardiologia aprova a utilização de ácidos graxos ômega-3 como terapia adjuvante no tratamento da hipertrigliceridemia (aumento dos triglicérides no sangue).

Dicas e sugestões:
1) Evite: preparações com molhos ricos em gordura e calorias (creme de leite, molho branco, molho de queijo) e alimentos fritos.
2) A bacalhoada é rica em calorias (170 kcal = porção média). Se for consumir, controle a quantidade ingerida.
3) Acompanhamentos: legumes frescos ou cozidos no vapor, arroz integral ou parboilizado, purê de cenoura, chuchu, mandioca ou batata, massa integral com molho de tomate, saladas e frutas.
4) Temperos: ervas e temperos naturais como manjericão, alecrim, orégano, tomilho, açafrão, pimenta, azeite extra-virgem, salsa, cebolinha, limão, laranja.

Já o alimento mais consumido por adultos e crianças durante a páscoa é o chocolate. No entanto, ele não precisa ser o vilão se for bem escolhido e consumido com moderação.

ovo de páscoaO chocolate amargo é a melhor opção entre os inúmeros tipos oferecidos no mercado e é considerado um alimento funcional devido a presença do cacau em sua composição. Os componentes encontrados no cacau, os flavonóides, atuam como antioxidantes, aumentam o HDL (colesterol “bom”), diminuem a oxidação do LDL (colesterol “ruim”), reduzem agregação das plaquetas. Além disso, atuam também na diminuição da pressão arterial, prevenindo, portanto, as doenças cardiovasculares. Lembrando que, as crianças e adolescentes também já estão apresentando fatores de risco para desenvolvimento de problemas cardíacos.

Dica: Na hora de consumir o chocolate quebre-o em pedaços pequenos e guarde em potinhos, evitando assim atacar o chocolate inteiro e de uma só vez.

Pensando nas tradicionais comemorações em família, durante a Semana Santa, a ANVISA publicou algumas dicas para facilitar a escolha dos alimentos mais consumidos nesta época: acesse o site.

15 de abril de 2014 at 15:15 Deixe um comentário

BOLO INTEGRAL DE MAÇÃ COM AVEIA

INGREDIENTES:bolo de maçã com aveia

– 3 maçãs médias;
– 3 ovos;
– ½ xícara de óleo;
– ½ xícara de chá de farelo de aveia;
– ½ xícara de chá de farinha de trigo integral;
– 2 xícaras de chá de farinha de trigo comum;
– ¾ xícara de chá de açúcar mascavo;
– 1 colher de sopa de fermento químico;
– ½ colher de sopa de canela em pó;
– 1 xícara de chá de água morna (aproximadamente).


MODO DE PREPARO:

1) Lave bem as maçãs, descasque e pique em quadrinhos. Reserve as cascas;
2) Bata no liquidificador as cascas das maçãs, as gemas, o óleo, o farelo de aveia, o açúcar mascavo e a canela em pó;
3) Bata as claras em neve e reserve;
4) Em uma vasilha grande coloque (peneirando) a farinha de trigo integral, a farinha comum, o fermento e misture bem;
5) Na mistura da vasilha adicione a pasta do liquidificador e a água aos poucos até formar uma massa cremosa. Delicadamente junte as claras em neve e por fim as maçãs picadas;
6) Unte e enfarinhe uma forma;
7) Asse em forno pré-aquecido (210 – 220ºC) por aproximadamente 40 minutos ou até se soltar da forma.


RENDIMENTO:
20 porções (6 x 6 cm).


OBS:
Por ser um bolo com fruta in natura ele possui prazo de validade menor quando mantido fora de refrigeração (aproximadamente 48h). Se desejar um prazo de validade maior, coloque na geladeira nas primeiras 24h.

15 de abril de 2014 at 00:54 Deixe um comentário

Alimentação Infantil

15 de abril de 2014 at 00:16 1 comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Páginas

julho 2017
D S T Q Q S S
« set    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031